Home Foros Casos de Estudo (PT) Módulo 5 – Caso de Estudo – O fardo de uma nova vida

Viendo 3 entradas - de la 1 a la 3 (de un total de 3)
  • Autor
    Entradas
  • #635
    admin
    Superadministrador

    Pode descarregar o caso de estudo aqui.

    Conceitos e competências introduzidos
    • Gestão emocional.
    • Autoestima
    • Gestão de tempo.

    Situação e Exercício
    Chamo-me Rosa e sou uma senhora de 40 anos de idade. Vivo com a minha mãe há cinco anos, desde que ela foi diagnosticada com demência. Anteriormente, eu vivia noutra casa com o meu filho e marido, mas uns meses depois do diagnóstico, tivemos de nos mudar para a casa da minha mãe, pois ela não queria deixar a sua casa e era mais ou menos autossuficiente e por isso eu tinha de passar a maior parte dos meus dias na casa dela, pois ela precisava da minha ajuda para tudo. Isso foi uma grande mudança para a minha família, mas tivemos de nos adaptar.
    A situação tornou-se ainda mais complexa devido ao facto de eu não ter nenhum membro na família disposto a ajudar-me; todos usam a distância como desculpa e nunca vêm visitá-la. Parece que ninguém para além de mim compreendeu a gravidade da situação, ou esteja interessado na condição da minha mãe. Eu sinto-me abandonada e estou constantemente cansada. Eu cuido dela 7 dias por semana, 24 horas por dia. Eu amo a minha mãe e faria tudo por ela, mas preciso da ajuda de alguém, porque nesta situação eu sinto-me como se não tivesse saída.
    Sinto-me insuficiente porque mesmo tendo preparado uma lista onde planeei todas atividades para realizar durante o dia, eu nunca consigo completá-las na forma ou no tempo desejado. Também tentamos inúmeros cuidadores por um tempo, mas nenhum deles tinha as competências necessárias para cuidar da minha mãe e, eventualmente, paramos de procurar. Parece-me que ninguém é capaz de ajudá-la, nem eu mesma, e isso faz com que me sinta sobrecarregada.
    O primeiro problema a surgir é a comunicação. Eu já não consigo compreendê-la e mesmo com o todo o meu esforço, sinto que não faço o suficiente por ela. Devido a todos esses aspetos, eu às vezes sinto-me irritada e perco-me num sentimento de desespero e culpa. Eu já não sou capaz de me reconhecer como eu era antes do diagnóstico desta terrível doença. Eu era alegre e despreocupada, agora sinto-me inútil e sinto que não tenho valor algum: se eu que sou sua filha e a conheço bem, não sou capaz de a ajudar, quem poderá fazê-lo?

    Atividade: Debate
    Agora que foi apresentado este caso, tente refletir no que aconteceu no enquadramento das competências de Inteligência Emocional adquiridas por si através do PeerCare.
    Imagine-se no lugar da Rosa:
    ● Que sentimentos tem a história em si?
    ● Já alguma vez se sentiu como a mulher na história?
    ● Diria que a autoestima da Rosa é alta ou baixa?
    ● Baseado no que leu no Módulo, o que sugeria à Rosa para melhorar a sua autoestima?
    ● O que poderia a Rosa fazer para gerir melhor o seu tempo?

    #1146
    Maria
    Participante

    Olá a todos! A situação da Rosa não é fácil!
    A história gera um pouco de frustração, mas também permite-nos sentir empatia ao compreender como a Rosa se sente, ser cuidador não é uma tarefa fácil!

    #1153
    Carolina Novo
    Participante

    Olá!
    Sei que a situação da Rosa não é fácil porque o meu pai é cuidador da minha avó já há cerca de 5 anos, desde que ela foi diagnosticada com Alzheimer. Eu própria cuido dela às vezes e por isso reconheço bem os sentimentos da Rosa, de frustração e impotência. Penso que ela tem neste momento uma auto-estima bastante baixa, porque sente que, independentemente do que fizer, não consegue ajudar a mãe. Eu própria também me sinto assim por vezes, o que leva a que me sinta zangada com a minha avó por vezes, especialmente quando ela não reconhece que estou a tentar fazer o melhor por ela. Mas sei que esse é um sentimento errado porque ela não tem culpa de nada. Penso que seria se a Rosa conseguisse ter alguém para a ajudar a desempenhar as tarefas de cuidadora, e se pudesse tirar algumas horas do dia para se dedicar a si mesma. O cansaço e o stress tornam a situação ainda mais difícil, e tornam mais difícil a gestão emocional da situação.

Viendo 3 entradas - de la 1 a la 3 (de un total de 3)
  • Debes estar registrado para responder a este debate.